" A inquietude não deve ser negada, mas remetida para novos horizontes e se tornar nosso próprio horizonte."
Edgar Morin

sexta-feira, 20 de março de 2009


A DÍVIDA PÚBLICA DEVE SER DICUTIDA EM PROFUNDIDADE PELO MAIOR NÚMERO DE PESSOAS


“A discussão da dívida pública foi incorporada ao repertório do cidadão comum, que passou a perceber os perigos contidos no descontrole das finanças públicas. O fato de as agências de avaliação de investimento e a grande imprensa darem destaque a essa variável contribuiu para que ela ganhasse relevo na agenda nacional, junto com o debate sobre o desenvolvimento sustentável e a justiça social.

A política econômica, é vista muitas vezes, de forma equivocada, como seara exclusiva de ação do Poder Executivo. Ao contrário as grandes diretrizes das políticas monetária e fiscal constituem competências compartilhadas entre os Poderes instituídos pelo Estado e é assunto de ordem histórica, jurídica, sociológica, e outros, devendo haver uma desejável convergência de visões sobre elas.

A dívida pública brasileira precisa ser discutida em profundidade e de forma acessível ao maior número de pessoas, pois só dessa forma poderão surgir soluções satisfatórias e duradouras".

Fonte: Dívida Pública Brasileira / relator Deputado Félix Mendonça - Camara dos Deputados 2004

Estou concordante com o exposto acima pelo deputado...mas somente soluções satisfatórias? "Estrondoso" eufemismo na retórica do relator....A dívida pública deve não somente ser discutida pela sociedade, bem como tem a obrigação de reclamar por uma solução eficaz, justa, ética para que o lixo da pobreza e miserabilidade de seres humanos, que nelas adormecidos, não somente tenham a opção de trocar votos pelo programa bolsa família ou continarem se alimentando da corrupção implacável estabelecida nos bastidores dos poderes do Estado. Juliane Gomide

VISITEM O NOSSO SITE LITERARIO: http://sites.google.com/site/dividabrasileira

Nenhum comentário: